Plantas vasculares simples

Planta vascular
Corte transversal em um caule
    Planta com canais para transportar água e nutrientes As samambaias, as lícopodíneas, as cavalinhas, as gimnospermas  e as plantas com flores são plantas vasculares, ou traqueófitas. Elas possuem sistema vascular formado por células especiais que distribuem as substâncias pela planta. As plantas vasculares absorvem as substâncias pelas raizes e o caule sustenta as folhas.

Alternância de gerações
    Ciclo de vida que alterna uma fase sexuada com outra assexuada Existem duas gerações alternadas no ciclo de vida de uma planta, ou seja, há duas formas diferentes de planta dentro do mesmo ciclo de vida. Uma forma, chamada esporófito, produz esporos por divisão meiótica. Os esporos se desenvolvem gerando outra forma da planta, chamada gamerófito. O gametófito produz por divisão mitótica os gametas, que por fecundação serão responsáveis pela origem de novos esporófitos.
Esporófito
     Estágio do ciclo de vida que  produz esporas   O esporófito é díplóíde, ou seja,  suas células têm um conjunto duplo  de cromos somos. Ele produz por  meiose um grande número de  pequenos esporos. Esses se  desenvolvem em gametófiros, que  vivem independentes.
Gametófito  
    O garnetófito é haplóide, ou seja, suas células têm um conjunto simples de cromossomos. Ele tanto pode ser macho como fêmea, ou mesmo ambos. O garnetófito produz células sexuais li, ou gametas, por mitose. A fertilização ocorre quando um gameta masculino se encontra com um gameta feminino. Isso produz um novo esporófito. Nos musgos e nas -hepáticas, o estágio de gametófito é mais longo, ou mais duradouro, que o de esporófito. Em muitas outras plantas, o esporófito é o estágio mais longo do ciclo de vida.
Samanbaias
Samanbaia
    Plantas sem flor com folhas compostas enroladas que se desenrolam ao crescer Há cerca de 11 mil espécies de samambaias, que constituem a divisão das pteridófitas (Pteridophyta). A maioria das samambaias tem grandes folhas compostas divididas em numerosos folíolos. Elas formam esporos em estruturas chamadas esporângios na fase inferior de suas folhas. Os esporângios ficam reunidos em estruturas chamadas soros. Algumas samambaias têm esporângios em todas as folhas, outras em apenas algumas delas ou em hastes especiais. As samambaias são mais comuns nos trópicos e vivem, em geral, em lugares úmidos.

Samambaia aquática
    Samambaia que cresce na água ou em terrenos alagados As samambaias aquáticas não se assemelham às demais samambaias. Elas têm folhas arredondadas e pêlos que repelem a água. Crescem flutuando na superficie das lagoas e fossos e, se forem afundadas, emergem novamente.

Samanbaia aquática

Samanbaia arborescente
    Samambaia com tronco fibroso As samambaiacus, ou xaxins, crescem principalmente nas regiões tropicais e subtropicais. Alcançam altura expressiva e apresentam folhas agrupadas em ramos, fazendo-as parecerem palmeiras. As frondes de algumas samambaiaçus podem chegar até cinco metros.
Samanbaia aborescente
Licopodíneas 
    Plantas sem flores que apresentam pequenas folhas arranjadas em espiral em torno da haste As licopodíneas são parecidas com musgos e crescem em lugares pantanosos e úmidos. Constituem a classe das licopodófitas (Lycopodophyta). São, na maioria, trepadeiras que crescem nos galhos das árvores. Produzem esporos em folhas especiais, as esporófilas, que se distribuem pela planta. Há cerca de mil espécies desta planta.
Licopodínea-gigante
   Licopodínea extinta que apresentava um tronco alto A licopodlnea-gigante chegou a ter 30 metros de altura. Ela tinha um longo tronco com pequenos galhos reunidos no topo. Durante o Período Carbonifero, essas plantas formaram densas florestas nos pântanos. As licopodíneas mortas constituíram camadas de matéria orgânica que foram soterradas por um processo de sedimentação. Após milhões de anos, essa matéria orgânica transformou-se em combustível fóssil rico em carbono, chamado carvão.
Cavalinha

Cavalinha





    Pteridófita de caule ereto e ramos dispostos em forma de candelabro As cavalinhas existem na Terra há milhões de anos. Elas são plantas parecidas com uma escova, sendo comuns nos lugares úmidos. Constituem as eqüissetíneas. As cavalinhas se propagam por esporos e por estames e rizomas rastejantes. Elas têm dois tipos de caules. O caule estéril tem anéis de galhos estreitos e verdes. O caule fértil não tem galhos e pouca ou nenhuma clorofila, mas é ele que produz esporos. Há 15 espécies de cavalinhas.



Veja também
=> Plantas sem flores <=

0 comentários :

Postar um comentário

Tecnologia do Blogger.
 
Lider Biologia - Todos os direitos reservados. | Política de Privacidade | Template Clean, criado por Tutoriais Blog .